Santa Cruz orgulhosa de si

Com as festividades de Natal, de Santo Amaro e com o lançamento do site turístico de Santa Cruz foram dados passos importantes naquela que é uma das nossas prioridades: criar uma identidade que nos diferencie naquilo que temos de mais genuíno e, paralelamente, criar as condições para um concelho cada vez mais orgulhoso de si próprio, das suas capacidades e da sua história e tradição.

Acredito que qualquer projeto de consolidação de uma identidade só se faz com o envolvimento de todos e garantindo que todos se sentem parte da terra onde nasceram ou vivem.

O caminho que temos vindo a trilhar tem a sua mais profunda razão de ser numa interação constante com a comunidade onde estamos envolvidos, não só chamando essa mesma comunidade a intervir ativamente, mas também aproveitando as sinergias e a própria dinâmica da comunidade.

Mas há um trabalho que tem de ser movido por quem encabeça os destinos de um concelho. Há tarefas que nos cabem a nós e temos feito, todos os anos, o possível para avançarmos sempre na construção de um concelho reforçado em todas as valências, com preponderância na criação de uma identidade e de um sentimento de pertença que a todos anime e que sirva de mola impulsionadora para uma cada vez maior atratividade daqueles que nos visitam.

Creio que este caminho teve o seu início com as comemorações dos 500 anos, momento que marcou significativamente a nossa história presente através da valorização do nosso passado, e do lançamento do mote para uma terra de futuro. Criámos um hino e iniciámos aí um percurso que tem sedimentado o sucesso da criação de uma marca e da valorização de uma terra.

Santa Cruz está hoje situada numa senda de história e modernidade. Há um plano consistente de investimentos, um trabalho social inovador e atento às necessidades da população, e uma dinâmica cultural e recreativa bem patente no crescente número de pessoas que nos visitam.

Creio ser reconhecido por todos que festividades como a do Natal, da Festa da Flor e do Santa Faz têm vindo a crescer em termos de qualidade e na sua capacidade de criar cartazes que se têm imposto e que têm feito um crescimento sustentado e consolidado.

A nossa aposta é continuar esta caminhada, conscientes que estamos de que Santa Cruz tem elementos únicos, argumentos válidos e vontade de fazer mais e melhor.

Pela nossa parte, continuaremos a trabalhar para a terra de futuro que os 500 anos preconizaram. Mas queremos que todos se sintam parte deste caminho, porque a terra só se anima realmente com a alma e a entrega de todos. Onde pomos a alma é exatamente aí que nasce o lugar e a sua mais profunda identidade.

E este concelho continuará a ser a força do povo que o constitui, a beleza da sua natureza marítima e a profundeza e caráter da sua terra e das suas gentes.

Juntos, continuaremos a deitar a mão e o espírito à terra. Juntos, continuaremos a fazer mais e melhor e a tornar Santa Cruz cada vez mais um ponto de paragem obrigatório, devolvendo e sedimentando a sua condição de porta de entrada na Região Autónoma da Madeira e a sua importância como segundo polo turístico.

Mas, sobretudo, a importância que advém da sua rica paisagem, da sua diversidade cultural, da sua orgulhosa história e do seu povo que faz a verdadeira respiração do lugar e da sua força em continuar.