Portugal precisa de Vitamina C

Os meus artigos nesta coluna mensal pautam-se por um cariz essencialmente de análise política, mas em dia de reflexão, e por Portugal ainda ter uma lei eleitoral que trata os eleitores como crianças de colo, decidi mudar o disco e entrar na minha área profissional e de formação, a Nutrição.

A vitamina C será provavelmente uma das vitaminas mais importantes para o bom funcionamento do nosso organismo e da nossa saúde. Esta promove a formação, crescimento e reparação do tecido ósseo, da pele e do tecido conjuntivo. É altamente eficaz na manutenção de dentes e gengivas saudáveis. É assim considerada vital em sistemas como o sistema imunológico, na prevenção do envelhecimento, e com acção positiva comprovada em problemas osteoarticulares. As fontes mais ricas de vitamina C são os citrinos, como a laranja, a batata, quivi e morangos. Como se consegue perceber pelas suas funções, a vitamina C tem de estar aumentada e reforçada na população portuguesa.

Por ser também uma vitamina com alto poder antioxidante tem uma acção protectora da acção dos radicais livres, que como se sabe são causadores ou potenciadores de uma série de doenças como cancro, arteriosclerose, infecções respiratórias, cataratas e perda de memória.

A ausência de vitamina C pode ter efeitos devastadores para a população portuguesa, e em especial, para os madeirenses. A sua falta provoca o aumento da sensação de cansaço, a fadiga, a irritabilidade, fraqueza muscular. Imagine que tem de fazer a travessia a nado entre a Madeira e o Continente porque a República falha no seu dever de garantia da continuidade territorial, convém estar preparado com uma boa dose de vitamina C.

A carência de vitamina C no Funchal, aumenta fortemente a irritabilidade e tira a paciência de um santo cada vez que se conduz dentro da cidade. Há que prevenir com mais vitamina C. O fecho de ruas de forma indiscriminada da capital da Madeira, e uma cidade mais amiga de motas do que de carros, agrava certamente os problemas osteoarticulares. Aqui é necessário investir novamente numa boa dose de vitamina C.

Os radicais livres têm proliferado de forma exponencial na população portuguesa e há que travá-los com doses maiores de vitamina C, sob pena de termos um Portugal cada vez menos inclusivo e mais paternalista.

A falta de memória embora possa dar jeito a alguns, pode e deve ser combatida com mais vitamina C, ajudando a lembrar o que de bom a nossa vida tem e a forma como evoluímos nos últimos 40 anos.

As cataratas são uma das principais causas de cegueira no mundo, é preciso prevenir com mais vitamina C para lermos bem a informação que nos entra casa adentro, conseguirmos fazer as palavras-cruzadas e por exemplo, colocar cruzes nos sítios certos.

A laranja é a melhor forma de ter a vitamina C que precisa. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o seu nutricionista.

*** Este artigo foi escrito segundo o Acordo Ortográfico Português para a Ironia e o Sarcasmo.