Empatia

Hoje, em especial, gostaria de enfatizar a importância da empatia. Com o mundo, com os outros, com a natureza, com os animais. Empatia. Colocar-se no lugar do outro. Entender que as atitudes do outro estão subjacentes não apenas ao momento exato onde acontecem, mas que surgem carregadas de um histórico que é influenciado por outros acontecimentos. Ninguém sabe o que se passa na vida de toda a gente. Às vezes, nem eu entendo a minha própria vida. E é preciso dar o beneficio da duvida. Entender o que se passa e tentar energizar o ambiente ao nosso redor com boas energias. Empatia é a palavra chave para vivermos em harmonia, equilíbrio e num ambiente que nos faça mais felizes do que frustrados.

Trabalhar em atendimento ao público, com pessoas com personalidades completamente distintas das minhas, fez-me repensar na forma como me dirijo aos outros. O impacto que a minha postura, o meu humor, a minha expressão facial causa nos outros. Independentemente de tudo o que se possa passar, acredito fielmente que ninguém tem culpa dos nossos problemas. Eles existem. Estão lá e não se vão resolver por descarregarmos a nossa frustração nos outros. Mas um sorriso, uma palavra gentil, pode modificar o dia da outra pessoa. E isso é talvez o que compense o fim de um dia de trabalho no atendimento ao público. Uma palavra de incentivo. Um simples “tenha um bom dia de trabalho”.
    É tão simples ter empatia com o outro. É tão simples fazer o dia de um desconhecido mais feliz. Existem tantas pessoas boas neste mundo e é nelas que temos de arranjar exemplos para as próximas gerações. Para os nossos filhos, sobrinhos, primos. Para todos. Nesta vida nada acontece por um acaso e eu gosto de pensar que se pensarmos todos um bocadinho mais nos outros, no que eles estão a sentir e a forma como nos dirigimos a eles, podemos tornar este sítio um lugar mais amável para vivermos. A nossa espécie já fez tanto mal a este mundo, porque razão não podemos nós tentar mudar alguma coisa e praticar mais o bem do que o mal?
    Começar por nós mesmos é o princípio de tudo. Uma atitude isolada conta à mesma. Não acordamos bem todos os dias, obviamente, mas se tentarmos fazer o bem todos os dias, essa energia vai também influenciar a nossa vida. E se cultivarmos o bem, colhemos só ele. Por isso, o que posso esperar dos outros é aquilo que pratico com eles: empatia, simpatia e alegria. Eu tento fazer a minha parte, ainda que uma vez ou outra surjam pessoas menos empáticas, procuro pensar que a frustração dessa pessoa, naquele dia, não lhe permitiu exercer um pouco da empatia de que aqui falo. Tudo bem. Mais dias virão para que ela possa exercê-la. Talvez não comigo, mas com outra pessoa. Não me vou frustrar por isso e espero que ninguém se frustre também.
    Somos todos muito melhores se praticarmos a empatia. É preciso começar por algum lado e acho que este é o caminho certo para uma vida mais equilibrada e, certamente, mais completa.