Coincidências? Não há coincidências!

1. As duas semanas que passaram, revelaram uma vez mais a forma preconceituosa como a República e este Governo do PS olha para os Madeirenses em particular, e para os ilhéus em geral.

Como estávamos perto da cambalhota socialista na Assembleia da República sobre a votação da alteração do Subsídio de Mobilidade, toca a lançar as notícias “certas “para nos denegrir.
O Ministro das Infraestruturas vai a uma comissão e declara que o Modelo está sob suspeita, com fraudes a serem investigadas pelas autoridades.
Isso era sabido. Não constitui novidade. O próprio Governo da Madeira já havia feito denúncias para que fossem investigadas.
Depois lança a farpa, de que este Modelo tem “incentivos perversos”, com “faturas falsas e empolamentos de preços que acabam por lesar o Estado”.
Terceiro momento, da estratégia: revelar que o Governo já gastou 200 milhões de euros em 4 anos, com esta coisa das viagens dos ilhéus!
Uma vez mais a cortina de fumo, que quer dar a entender que vivemos à custa do que Lisboa nos paga. De que vivemos à custa dos contribuintes do continente.
Ficam duas perguntas. Em que momento e que solução apresentou o Governo do PS as suas propostas para diminuir ou eliminar os tais incentivos perversos? Sabemos bem as respostas. Nunca o fizeram. Isso nunca lhes interessou!

2. Todos os dias se confirma aquilo que o PS/Madeira quer esconder. Quem decide o que fazem os socialistas da Madeira é o PS de Lisboa.
Num dia destes, veio à Madeira a Secretária Geral do PS, Ana Catarina Mendes, falar com os camaradas da região.
Uns dias depois, uma grande fotografia de Carlos Pereira abraçado ao candidato dos socialistas a Presidente do Governo, preparava a “novidade” que vinha a caminho. Este domingo foi notícia que Carlos Pereira será cabeça de lista às eleições para a Assembleia da República pelos socialistas da região.
Numa visita à Feira do Gado, no Porto Moniz, o candidato a Presidente do Governo dos socialistas, que é independente, é quem comenta e justifica a apresentação de Carlos Pereira como cabeça de lista. É ele quem explica porque o PS/Madeira o apresentou e ainda diz que outros socialistas serão chamados, caso queiram.
Ao fundo, na reportagem da RTP, vemos o eleito Presidente do PS/Madeira – Emanuel Câmara. Só está autorizado a aparecer para fazer número.
Em suma, já nem para falar em nome do Partido Socialista da Madeira e da sua direção política eleita em congresso, se Emanuel Câmara é chamado. Quem fala sobre isso, sobre as indicações feitas para Lisboa e sobre os fundamentos de tais indicações é um independente!