Vou ali comprar uns votos

“Bom dia, sou o Eng. Filipe e sou militante do PSD. Esta viagem acontece graças ao apoio do PSD, do Governo Regional, da Casa do Povo (…) e de mais algumas instituições parceiras. Infelizmente não tivemos o apoio da Junta de Freguesia (…), mas mesmo assim conseguimos realizá-la”

ste caso foi-me relatado por uma pessoa que foi numa das muitas viagens ao Porto Santo, pela módica quantia de 5€, com direito a transferes, viagem marítima, excursão de meio-dia pela Ilha Dourada, almoço e seguro. Noutras Casas do Povo/Associações ao serviço do PSD, o preço poderia ser de 3€ ou mesmo de zero.

É assim o modus operandi das viagens quase à borla ao Porto Santo e que têm levado milhares de Madeirenses até à ilha dourada. Tudo pago pelo Governo regional, através de financiamentos encapotados às Casas do Povo, associações amigas e Juntas de Freguesia governadas pelo PSD, sempre com o intuito de fazer propaganda política do PSD. As restantes nem conhecimento têm e, muito menos é solicitado qualquer apoio.

Passando os olhos pelo JORAM, podemos constatar que os apoios a essas Casas do Povo, em meio ano, já andam na casa dos 2 milhões de Euros.

Recentemente, houve também a distribuição de eletrodomésticos pelo Bairro da Nazaré, numa Gondomarização ao melhor estilo de Valentim. Novamente, associações amigas do regime prestaram esse serviço, obviamente, financiadas pelo Governo Regional.

Também há poucos dias, foram distribuídos cartões de compras de um grande centro comercial do Funchal, carregados com 150 € para gastar exclusivamente em roupa e sapatos, às empregadas de limpeza que prestam serviço através de empresas privadas, ao Governo Regional e que ao que parece prestam simultaneamente apoio domiciliário, nomeadamente através da Associação Causa Social. Claro que essa distribuição contou com a presença do Presidente do Governo Regional.

Já antes ouvimos falar da distribuição de cheques aos agricultores, às bordadeiras, aos pescadores, a um sem fim de pessoas. A Quinta Vigia deixou de ser a sede do Governo Regional e virou cantina, com cocktails semanais a outras tantas pessoas de diferentes sectores da função pública. Sejam eles enfermeiros, auxiliares do hospital, funcionários desta ou daquela secretaria lá têm de ir ao beija-mão, beber um vinho Madeira e umas broas de mel. Disparar em todas as direções é a palavra de ordem, dada por quem se encontra numa situação de total desespero.

As sondagens não devem estar favoráveis lá para os lados da Rua dos Netos e com o agudizar da situação, muitos mais serão presenteados por um PSD em fim de vida, mas pago com o dinheiro dos nossos impostos.

Quanto custará cada voto do PSD? Quanto custará aos contribuintes este assistencialismo perpetuado pela dupla Albuquerque/Calado, que sem qualquer visão de futuro, preferem alegrar os seus eleitores com esmolas, em vez de governar com visão de futuro, com uma estratégia que prepare os madeirenses para sua autonomia financeira.

Quanto custará cada voto do PSD? Quantos milhões tem gasto o Governo Regional a comprar votos? Pensem nisso, perguntem-se se é este o governo que queremos, que os madeirenses e portossantenses precisam, se a estratégia de manter um povo pobre, alimentado a esmolas eleitorais é o futuro da nossa região. Essa estratégia não é claramente a minha.

É tempo de mudar.