Desta vez eu voto!

“Desta vez eu voto!” é o slogan escolhido pelo Parlamento Europeu, para incentivar ao voto, através de uma campanha de mobilização dos jovens para as eleições europeias, do próximo 26 de maio.

Normalmente não nos alheamos de votar nas eleições regionais porque somos madeirenses e queremos ajudar a escolher quem irá dirigir a nossa região. Também não nos alheamos de votar nas eleições para escolher os lideres nacionais porque nos sentimos portugueses a achamos que temos algo a dizer sobre o destino do nosso país. Então porque nos alheamos de exercer o nosso dever enquanto cidadãos europeus? Esta é apenas mais uma componente da nossa identidade.

Este alheamento relativamente às eleições para o Parlamento Europeu é ainda mais estranho se pensarmos que 78% da população portuguesa afirma sentir-se cidadã(o) europeu. Relativamente aos jovens esta percentagem aumenta para 91%. Então por que temos menos vontade de ir às urnas para este sufrágio? Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu apenas 3 em cada 10 portugueses o fez.

Vivemos num mundo cada vez mais globalizado e competitivo e enquanto europeus enfrentamos vários desafios comuns como sejam “a migração, as alterações climáticas, o desemprego dos jovens, a privacidade dos dados”, entre outros. Mas também existem muitas potencialidades advindas da cidadania europeia.

Começo por referir as imensas oportunidades de mobilidade entre os vários países da Europa quer seja através do Erasmus para alunos do ensino básico e secundário, quer seja para voluntariado ou para estudos ou estágios enquanto aluno do Ensino Superior.

Existem também os projetos de investigação dos nossos investigadores, que são co-financiados pela Europa. Aparentemente apenas os investigadores e as Universidades usufruem daquilo que neles se produz. Na verdade, não é assim. O conhecimento e a inovação que advêm desse processo são transformados e ‘derramados’ na Madeira e nas regiões da Europa às quais pertencem os parceiros do projeto. Mas mais do que isso, uma universidade que não investiga é uma universidade morta. A investigação e o ensino estão fortemente relacionados. Quando se investiga, o conhecimento que se produz é também veiculado pelos nossos estudantes, através das aulas e da integração dos alunos nos projetos de investigação, fazendo com que estes estejam melhor preparados para os desafios de ser cidadão ativo no século XXI.

Todos ganhamos com a nossa pertença completa à União Europeia!

Espero que o slogan “Desta vez eu voto” faça eco em cada um de nós e que no dia 26 de maio revelemos a nossa responsabilidade e comprometimento como cidadãos europeus.

Desta forma singela exerço a minha responsabilidade e o meu dever enquanto cidadã europeia e enquanto vice-reitora de uma instituição de formação de jovens adultos – a Universidade da Madeira – fazendo apelo a que cada um de nós se dirija às urnas no dia 26 de maio.