Santa Cruz no mapa

Não há como não reconhecer que Santa Cruz está diferente. Tem mais vida, maior investimento e um programa cultural e recreativo que visa essencialmente colocar este concelho no mapa dos eventos regionais.

Tem sido com este objetivo que a Câmara Municipal tem deitado mão de várias iniciativas, naquele que queremos que seja um programa capaz de alavancar uma dinâmica que tire proveito das potencialidades naturais deste concelho, da sua privilegiada paisagem, da sua agradável e próxima localização, fazendo com que estes fatores se unam a um sólido programa de eventos e de iniciativas culturais.

Penso que o pontapé de saída foi dado com o reavivar da Casa da Cultura, não só ao nível de exposições, como de várias iniciativas que ali têm lugar, das quais destaco a Hora do Planeta e o SantaCurtas.

Mas, o que pretendemos é que esta nova atratividade que queremos para Santa Cruz se faça para lá dos muros e das iniciativas em espaços fechados, embora públicos, para uma abrangência de todo o espaço concelhio e de toda a comunidade, criando nos residentes uma cultura de orgulho na sua terra, e nos visitantes o desejo de conhecer, de fazer deste concelho ponto de paragem obrigatório e motivo de interesse.

Um dos exemplos desta nova atratividade foi, sem dúvida, a nossa aposta nas iluminações e decorações de Natal, que finalmente deram a Santa Cruz um lugar de destaque, potenciando as tradições que já estão sedimentadas, como a comemoração do dia 1 de dezembro, e criando novos motivos de interesse para os de fora e de orgulho bairrista para os de dentro.

Contudo, não queremos ficar por aqui e, nesse sentido, temos vários projetos que pretendem com que realmente Santa Cruz seja definitivamente colocada no mapa e que se crie uma verdadeira marca distintiva para este concelho.

O próximo evento que tirará o maior proveito deste objetivo será as comemorações da festa da flor, mantendo o que já vinha sendo feito em anos anteriores e introduzindo novas e significativas variantes, alinhadas com um projeto já em curso de transformar a bela Santa Cruz num jardim a visitar.

Falo, em concreto, do Santa Cruz em Flor, que não é apenas um concurso de montras e jardins, mas todo um conceito que pretendemos desenvolver de forma sustentada e que se torne imagem de marca deste concelho. É um conceito que abrangerá todas as freguesias do Município, sendo a sua face mais visível a aposta que já está sendo feita na requalificação dos nossos jardins.

Levantando um pouco a ponta do véu, a 3 de maio, pelas 17 horas, teremos a abertura oficial das festividades, com o Muro da Paz, a atuação de Diana Duarte e a presença de figurantes a cargo da reconhecida Isabel Borges e da qualidade que coloca nas suas criações.

De 3 de maio a 2 de junho Santa Cruz será também embelezada com três cenários criados pela empresa Alpendre, situados na Rotunda de Santo Amaro, Praça João Abel de Freitas e Praça Padre Olavo Garcês.

Com início a 6 de maio estará em força o concurso de jardins, que conta já com 20 inscritos e que é um incentivo ao embelezamento dos espaços verdes, varandas e montras. Esforço que também está a ser seguido pela nossa autarquia, com a revitalização dos nossos espaços verdes, criando jardins temáticos e de maior beleza e cor.

Já a 2 de junho, pelas 16 horas, teremos a iniciativa Clássicos em Flor, também da autoria de Isabel Borges em parceria com o Clube Sport Madeira Automobilismo, e que juntará o charme dos automóveis antigos à beleza das nossas
flores.