A essência do espírito de Natal

O Natal, comemorado a 25 de dezembro, é a celebração do nascimento de Jesus, um acontecimento da religião cristã. A data era originalmente dedicada à festividade do solstício de inverno, mas a partir do século III foi ressignificada pela Igreja Católica, como forma de conversão dos povos pagãos ao cristianismo.

O espírito natalício é a celebração deste nascimento, acompanhado de alegria, amor, paz e boa-vontade. É um tempo de maior união e felicidade familiar, em que cristãos e não cristãos esforçam-se por melhorar o seu comportamento, manifestando maior preocupação, afeto e amor incondicional pelo próximo. Contudo, estes sentimentos nobres têm sido, um pouco, ofuscados pelo espírito consumista e tendências individualistas. Partilho, convosco, a minha perceção sobre a essência do espírito de Natal:

Que os dias feriados sejam um período de reflexão pessoal, honesta, onde com lucidez possamos renovar a fé em nós próprios e preparar as mudanças que desejamos;

Que os mercados de Natal sejam espaços de partilha, amizade e reciprocidade;

Que os convívios signifiquem oportunidades de confraternização, reconciliação, solidariedade e sintonia com os valores universais, e intemporais, da vida;

Que o cacau quente dissolva o ego, e que o licor nos estonteie de humildade.

Que os cartões, emails e mensagens de Boas Festas transbordem alegria e dissipem a saudade dos ausentes;

Que os cânticos ecoem a melodia da alma, em harmonia com a voz do coração;

Que as decorações e enfeites reflitam o nosso ser envolto, e fonte, de paz e amor;

Que as iluminações acendam a nossa luz interior e despertem sempre o melhor que há em nós, numa chama de eterna esperança;

Que as prendas mais valiosas sejam a presença, a atenção e o amor daqueles que mais estimamos;

Que os ramos da árvore de Natal imitem os nossos braços abertos à vida;

Que a estrela de Belém ilumine as nossas escolhas e caminhos;

Que o Menino Jesus nos abençoe com o dom da gratidão;

Que o Pai Natal nos faça acreditar que os milagres ainda existem;

E que o espírito natalício permaneça todo o ano!

Precisamos compreender que os pequenos milagres devem ser celebrados todos os dias! Os milagres de acordar, respirar, ver, andar, correr, falar, cantar, dançar, amar, abraçar, rir ou sorrir. Todos os momentos são especiais! Vamos, por isso, sem mais resistência e lamúria, apreciar a essência da existência porque, como é sabido, a vida é um sopro…

Um Santo e Feliz Natal a todos!