Qual é a minha Terra?

Este último artigo de 2018, no mês de Dezembro, mês do Natal, do nascimento de Jesus em Belém, lembra-me que ele é conhecido como Jesus de Nazaré ou por Jesus da Galileia, duas terras numa região da antiga Palestina.

Mas nunca é conhecido por Jesus de Jerusalém, sendo, no entanto, esta cidade o lugar mais referenciado na sua biografia. Este exemplo, que todos conhecemos, leva-me a pensar em tantos outros de diversas personalidades, onde nos questionamos quais são as suas terras.

Qual é a terra de Jesus?

Qual é, afinal, a terra de cada um de nós, aquela onde nascemos, ou aquela que depois escolhemos, ou nos calha na sorte da vida, ou ainda a terra que nos adopta?

Sabemos de muita gente que nascendo em locais recônditos do nosso país, surgem como deputados da nação e pomposamente residentes em condomínios fechados, luxuosos, de Cascais, do Estoril ou de Sintra. Não têm terra, são os donos dos novos espaços sociais de luxo. Outros, como Almeida Garrett, que escreveu no prefácio da primeira edição de “O Arco de Sant´Ana”, ter nascido no Porto e sido criado em Gaia.

D. Afonso Henriques, por exemplo, cujo berço se diz ser Guimarães, mas que os investigadores históricos afirmam que o homem é de Viseu.

Luís Vaz de Camões é um dos casos a quem lhes são atribuídas várias terras, várias cidades e vilas e cuja celebração monumental se observa em diversos locais do país, em África, na Índia e até em França. Qual será, verdadeiramente, a sua terra? Será na Ilha onde inventou a Ilha dos Amores? Ou terá ele nascido num amor por essa ilha?

Eça de Queiroz, para uns nasceu na Póvoa de Varzim, mas para outros, em Vila do Conde e outros ainda que o preferem de Aveiro.

O meu Camilo de Castelo Branco, do Amor de Perdição, nascido em Lisboa, é no Porto e no Minho que se instala e reside toda a sua história e todo o seu impulso de grande romancista.

Reparem que, até, Santo António é, para nós, de Lisboa e para os Italianos, de Pádua.

E o Vasco da Gama? Qual é afinal a sua terra, Sines ou Vidigueira?

​Tudo isto para vos dizer: Eu, nasci no Porto Brandão-Almada. Vivi em Paris, Roma, Lisboa, Funchal, Ribeira Brava e Sintra. Mas qual é a minha terra? No fundo do meu coração, eu sou Madeirense, e espero poder viver, o resto da minha vida, nessa ilha da Madeira, nessa ilha dos amores.