Sabe negociar?

Num conflito existem duas partes envolvidas, e para ultrapassá-lo, ambas têm de mudar alguma coisa.

Onde existem conflitos, costuma ser necessária a negociação. A negociação melhora as relações humanas em geral, porque incentiva a comunicação, melhora a qualidade da convivência e fortalece a relação.

As pessoas de diferentes idades convivem, dependem e relacionam-se, pelo que as relações dos jovens com os adultos são inevitáveis. Por isso, o sensato será pensar na forma de tirar partido destas relações e torná-las numa fonte de prazer, ou pelo menos, em espaço de não-conflito.

As relações entre os jovens e os adultos são numerosas e, por vezes, difíceis de gerir. Quando as pessoas convivem, é possível que surjam conflitos e existem alguns elementos que tornam isto mais provável: a dependência económica, a idade, a comunicação, os diferentes interesses, entre outros. Se se quer lidar com esta conflitualidade e obter resultados positivos, é preciso analisar os conflitos surgidos e pensar em capacidades que permitam que os mesmos sejam ultrapassados.

A aprendizagem de capacidades para resolver conflitos é fundamental para evitar que os jovens recorram ao consumo de substâncias psicoativas, como forma de não enfrentarem os problemas e de se evadirem da sua responsabilidade nas relações sociais, sejam com adultos sejam com os seus pares.

Num conflito existem duas partes envolvidas, e para ultrapassá-lo, ambas têm de mudar alguma coisa. Uma das partes pode começar por essa mudança. Dar o primeiro passo é inteligente e mostra uma extraordinária atitude que irá melhorar a relação no momento presente e no futuro.

A negociação

Ocasionalmente, existem divergências e conflitos entre os jovens e os adultos. O esforço mútuo para chegar a um acordo e ser tolerante para com o outro, a tentativa por parte dos adultos de compreensão para com os jovens, a aceitação pelos jovens das suas responsabilidades são elementos fundamentais para a negociação ter sucesso.

Ao prolongar o conflito, alonga-se uma situação desagradável, aumentando a indiferença e/ou desprezo, portanto, na negociação (procura do acordo), há que ter em conta:

 A resolução de um conflito não é uma competição. A competição é uma má estratégia porque nas relações entre jovens e adultos, com essa atitude, é muito provável ambas as partes perderem. A cooperação é fundamental.

 Cada uma das partes deve explicar, claramente, como entende a situação e o que quer obter no acordo.

 Nos acordos é fundamental ceder. Nunca se vai conseguir o que cada um quer exatamente. Por isso, é importante prescindir do que não é essencial e preservar o que é essencial.

 Saber ouvir, ser empático, expressar os sentimentos e opiniões, fazer e receber críticas sem ofender são capacidades importantes nas negociações.

 As relações baseadas em acordos são mais duradouras e satisfatórias.

E você cuida das suas relações com os outros?