Turistas ingleses cancelam viagens e estadias no Algarve

Depois de o governo britânico ter excluído Portugal da lista de países considerados seguros em relação à pandemia de Covid-19, os hotéis recebem desmarcações e os voos chegam com poucos turistas.

Antes ainda de ter sido anunciada a decisão do governo britânico, já os turistas do Reino Unido cancelavam as viagens para o Algarve. O presidente da Entidade Regional de Turismo do Algarve (ERTA) tem uma explicação: "o facto de na comunicação social britânica estar a ser anunciada duas semanas antes essa possibidade",garante.

De acordo com notícia veiculada pela TSF, João Fernandes assume que esta resolução " teve impactos na redução das taxas de ocupação e nas reservas dos hotéis, que registaram cancelamentos", bem como na quantidade de turistas que chegam nos voos provenientes dos 5 aeroportos ingleses que têm ligação com o aeroporto de Faro.

O Presidente da ERTA acredita no entanto que será possível reverter a deliberação do governo inglês. Em seu entender um sinal positivo é o facto das companhias aéreas continuarem a apostar nas ligações entre Faro e a Grã-Bretanha."É também um sinal de esperança companhias aéreas como a British Airways e a Easy jet que recentemente anunciaram as suas rotas para o Algarve" e muitas outras, não seguirem essa retração, " muito pelo contrário".

João Fernandes admite que a forte dependência do mercado britânico deve ser esbatida a médio prazo." Estamos ligados a 63 cidades europeias e a 17 países e nos outros mercados emissores estamos a ter resultados importantes", conta. Admite contudo que será difícil a curto prazo colmatar a importância do mercado britânico na região com essas alternativas. No ano passado os ingleses representaram cerca de 6 milhões de dormidas na hotelaria algarvia, não contando com o alojamento local ou residencial.

Para captar visitantes para a região a Entidade Regional de Turismo lançou agora a campanha "O Algarve fica-te bem", dirigida ao turismo interno e aos mercados emissores estrangeiro.