Próximo ano letivo vai ser mais longo

Redação / Lusa

O próximo ano letivo será mais longo para quem não tem exames, as férias da Páscoa serão mais curtas e as escolas poderão funcionar em vários regimes, sendo que o presencial será a regra.

Estas são algumas medidas anunciadas pelo ministro da Educação, para o próximo ano letivo, que foram aprovadas em Conselho de Ministros esta quinta-feira, e que estão a ser apresnetadas pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Em conferência de imprensa, o governante garantiu que o Ministério preparou três cenários distintos para o ano de 2020/2021 - regime presencial, misto e não presencial - ressalvando que o regime presencial deve ser a regra.

Tiago Brandão Rodrigues ressalvou ainda que, dentro do regime presencial, as escolas terão uma capacidade de "gestão mais flexível dos horários, dos espaços escolares e dos créditos horários".

o ministro referiu ainda que o uso da máscara continuará a ser obrigatório nos recintos escolares.