Covid-19: Cascais vai fazer testes e distribuir comida em 42 bairros sociais

Lusa

A Câmara Municipal de Cascais inicia hoje um projeto de prestação de auxílio porta a porta em 42 bairros sociais, no âmbito das medidas da autarquia de combate à pandemia da covid-19, fazendo testagem e distribuição de comida.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do município, Carlos Carreiras (PSD), explicou que a iniciativa surge da necessidade de atacar a crise económica e social, dando apoio a toda população.

“Nós estamos a testar toda população de Cascais. Mas, nestes bairros, os seus residentes têm mais dificuldade em se deslocarem e em terem acesso aos meios digitais para fazerem as marcações [dos testes]”, salientou o autarca social-democrata, ressalvando que “são 42 bairros identificados pelas autoridades de saúde”.

De acordo com Carlos Carreiras, é fundamental as autarquias “assumirem esse processo”.

“Este é um processo que eu considero que as autarquias têm de ajudar o esforço nacional a combater, quer as questões sanitárias, quer a questão económica e muito especialmente a questão social”, realçou.

Nos próximos 10 meses, vão funcionar 40 pontos de apoio em todas as freguesias de Cascais para ir ao encontro das necessidades da população.

Com mais de 300 jovens voluntários, apoiados pelas equipas de Intervenção Social e da área da Saúde do município do distrito de Lisboa, o projeto visa prestar esclarecimentos, reforçar o trabalho das equipas de ação social nos bairros e sensibilizar o residentes para testagem da covid-19.

“[Vamos] entrar [nos bairros] com distribuição gratuita de máscaras e apoio alimentar, que cada vez é mais evidente haver cidadãos do concelho que têm dificuldades, neste momento, pela perda de rendimentos total ou parcial, e entrar com um conjunto de ações de apoio social a nível de emprego”, realçou Carlos Carreiras.

À Lusa, o presidente da Câmara de Cascais adiantou ainda que o município já realizou mais de 16 mil testes, referindo que a “infeção não está controlada”.

“O que é relevante neste processo é que apenas 1,2% já teve em contacto com o vírus, o que significa que estes números estão em linha com os números a que temos acesso, nomeadamente já realizados por outras universidades no estrangeiro”, disse, considerando que a infeção “é muito superior àquela que está registada pelos testes que foram realizados ao nível do país”.

De acordo com relatório diário da Direção-Geral da Saúde, o concelho de Cascais contabiliza um total de 997 infetados, menos 72 que os registados pelo município.

“No nosso registo temos 1.069 infetados. Os nossos registos são mais atualizados. Os [dados] da DGS [Direção-Geral da Saúde] têm uma diferença temporal na ordem dos três/quatro dias”, sublinhou.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 516 mil mortos e infetou mais de 10,71 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.587 pessoas das 42.782 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.