Portugal e Timor-Leste estendem programa de apoio a jornalistas

Lusa

O Camões-Instituto da Cooperação e da Língua e o Governo timorense assinaram hoje a prorrogação, até final do ano, de um projeto para o setor dos 'media' no país, que já apoiou mais de 200 profissionais.

O prolongamento do projeto “Consultório da Língua para os Jornalistas”, iniciado em 2016, foi assinada pelo embaixador de Portugal em Díli, José Pedro Machado Vieira, e pelo secretário de Estado da Comunicação Social timorense, Merício Akara.

A Embaixada de Portugal indicou que a prorrogação permite dar “continuidade à formação de língua portuguesa de jornalistas e de outros profissionais do Governo ligados à comunicação social”, de acordo com um comunicado enviado à Lusa.

O projeto abrange igualmente a formação de revisores e a revisão linguística dos conteúdos informativos em português, nos órgãos de comunicação social timorenses.

Desde que começou, o "Consultório da Língua para os Jornalistas" permitiu que 154 jornalistas e 57 profissionais do Governo melhorassem as suas competências, número que ultrapassou a meta inicial.

Manuais e recursos interativos online específicos foram preparados para jornalistas nos diferentes níveis de língua portuguesa e poderão vir a ser usados no futuro Instituto de Formação Jornalística, planeado pelo Governo timorense.

O projeto deu ainda formação diária a três revisores linguísticos timorenses das secções de português da televisão e rádio públicas RTTL, da agência timorense Tatoli, do jornal Timor Post e do canal privado de televisão GMN.

Os formadores apoiaram também a revisão de mais de nove mil notícias em português.