Farmácias portuguesas adotam plano de prevenção ao Covid-19

A Federação Internacional Farmacêutica (FIP) adoptou o fluxograma de aconselhamento farmacêutico das farmácias portuguesas contra o novo coronavírus.

A Associação Nacional das Farmácias (ANF) enviou às 2.750 farmácias suas associadas um fluxograma para orientação de casos suspeitos, conjugando sintomas com informação epidemiológica relativa a viagens e contactos com pessoas infectadas.

No início de março, a FIP recomendou a sua utilização aos farmacêuticos e suas equipas, em exercício em farmácias comunitárias, hospitalares e laboratórios de análises clínicas de todo o mundo. A instrução sanitária portuguesa foi traduzida em dezenas de idiomas, como árabe, chinês, espanhol, inglês ou russo.

Em comunicado indicam que independentemente do grau de suspeita, a primeira obrigação dos profissionais das farmácias é transmitirem às pessoas uma “mensagem de tranquilidade”.

“Como maior rede de saúde pública, temos o dever de apoiar a população na contenção do contágio e os serviços de saúde a concentrarem o seu trabalho nos doentes que realmente necessitam”, declarou Nuno Flora, secretário-geral da ANF.

A FIP justifica a emissão de uma recomendação mundial porque “as farmácias comunitárias são frequentemente o primeiro ponto de contacto com o sistema de saúde”.

A instrução sanitária adotada pela FIP foi elaborada pelo CEDIME - Centro de Informação do Medicamento e Intervenções em Saúde da ANF.