Greve de professores com serviços mínimos - Sindicatos

Lusa

A greve dos professores agendada para 21 de junho terá serviços assegurados para garantir a realização de exames nacionais e provas de aferição, disseram hoje à agência Lusa fontes das federações sindicais.

Esperava-se para hoje uma decisão da Comissão Arbitral, que decidiu estarem em causa necessidades sociais, essenciais e impreteríveis.

A informação foi transmitida à Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e à Federação Nacional da Educação (FNE), que convocaram a greve.

O secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, afirmou que a federação que dirige tinha “outra interpretação”, mas frisou que os professores que não estiverem de serviço às provas e exames estarão em greve.

A FNE vai emitir um comunicado ainda hoje e a Fenprof fará uma declaração pelas 15:00, em Coimbra.