Mulher que dava sobras do McDonald's a Cristiano Ronaldo: "Se vier o convite, lá estarei com certeza"

Chama-se Paula Leça e, segundo a Renascença, é uma das empregadas do McDonald's de Lisboa que há cerca de vinte anos, quando Cristiano Ronaldo estava nas camadas jovens do Sporting, oferecia hambúrgueres ao jogador.

O craque madeirense deu uma entrevista esta semana a dizer que quer retribuir o gesto. Falou numa gerente chamada Edna e algumas colegas. Paula Leça será uma dessas colegas. De Edna, diz que perdeu o rasto.

"Apareciam à frente do quiosque, como quem não quer a coisa, e quando havia hambúrgueres a mais a nossa gerente dava-nos autorização para cedê-los. Um deles era o Cristiano Ronaldo, que por acaso era o mais tímido. Era assim que acontecia quase todas as noites da semana", diz à rádio, citada pelo Correio da Manhã.

"Ainda estou a achar graça. Já tinha contado ao meu filho... que achava que era mentira, porque a mãe dele nunca na vida poderia ter dado um hambúrguer ao Cristiano Ronaldo. O meu marido já sabia, foi algumas vezes buscar-me lá à noite e também viu. É engraçado que se volte atrás no tempo... Mostra a humildade dele. Pelo menos as pessoas sabem que isto não era uma invenção. Se vier o convite, lá estarei com certeza. A primeira coisa será agradecer e, no jantar, teremos tempo para recordar esse tempo", conclui à Renascença.

Entretanto a McDonald's enviou à SÁBADO a seguinte nota: "Foi com enorme alegria que tomámos conhecimento que a McDonald’s faz parte das boas memórias do Cristiano Ronaldo e estamos em contacto com a equipa do jogador para ajudar a concretizar este seu desejo."