Carlos Pereira pede mais condições políticas para governar “sem empecilhos”

O vice-presidente da bancada socialista na Assembleia da república, o madeirense Carlos Pereira criticou hoje os caminhos esquerdistas da coletivização e da austeridade da direita, pedindo melhores condições políticas para que o PS cumpra desígnios reformistas na próxima legislatura e governe "sem empecilhos".

"O que precisamos mesmo é podermos governar sem empecilhos para impedir com todas as nossas forças o regresso da austeridade, do aumento colossal de impostos, dos mitos que o aumento de salários provoca desemprego, das previsões falhadas, dos velhos do Restelo que tratam o diabo por tu e que provocam ameaças da Europa contra os portugueses", declarou Carlos Pereira na intervenção que proferiu na Comissão Permanente da Assembleia da República.

No seu discurso, o deputado socialista madeirense também deixou críticas à atuação política dos parceiros da atual solução governativa, o Bloco de Esquerda, o PCP e o PEV.

Segundo Carlos Pereira, "no ruído da pré-campanha para outubro de 2019, até parece que a atual solução governativa foi desenhada a pensar no Bloco de Esquerda e no PCP, como se os portugueses ansiassem pela coletivização forçada dos meios de produção, com expropriações em massa e nacionalizações em catadupa".

"Por isso, que fique claro: Fizemos o que fizemos a pensar nos portugueses, nunca a pensar no Bloco que continua a querer nacionalizar o que mexe e a romper com Europa, mesmo que já o diga de forma muito tímida e até social-democrata", disse.

Para o vice-presidente da bancada socialista, "é necessário menos impedimentos, menos barreiras que travam a vontade reformista do PS para chegar a todos de forma justa, sem gerar desequilíbrios, mantendo o crescimento económico e consolidando a credibilidade".