Madeira apresenta segundo nível de risco mais grave de exposição à radiação UV

Lusa

Todo o país apresenta hoje um risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), com especial incidência em Beja, Évora, Portalegre, Guarda e na Madeira.

De acordo com o IPMA, estes distritos e a ilha da Madeira estão no nível 10 de risco, o segundo mais grave de uma escala que varia entre 1 e 11.

Os restantes distritos do continente e os arquipélagos da Madeira e Açores apresentam o nível 9.

Para as regiões com risco muito elevado e elevado, o IPMA recomenda a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo).

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje céu geralmente limpo e subida da temperatura, além de vento moderado a forte, sobretudo no litoral.

As temperaturas deverão oscilar entre os 24º no porto e Aveiro e os 36º em Évora, sendo que toda a zona interior do continente ultrapassará os 30 graus.

Para a Madeira está prevista para hoje muita nebulosidade e possibilidade chuva fraca a partir da tarde, além de vento moderado a forte.

O arquipélago deverá apresentar uma pequena subida da temperatura máxima nas terras altas.

Nos Açores, todas as ilhas contarão com períodos de céu muito nublado e possibilidade de aguaceiros fracos