Óbito/André Bradford: Presidente da República lamenta "morte tristemente prematura"

Lusa

O Presidente da República lamentou hoje a "morte tristemente prematura" do socialista açoriano André Bradford, referindo que iniciava um novo desafio como eurodeputado e "teria certamente muito ainda para dar" ao país.

"É com profunda consternação e emoção que o Presidente da República toma conhecimento da morte tristemente prematura do deputado do Parlamento Europeu André Bradford, enviando à viúva e a toda a família enlutada as mais sentidas condolências", declara Marcelo Rebelo de Sousa, numa nota publicada no portal da Presidência da República na Internet.

Na mensagem, o chefe de Estado refere que, "depois de servir Portugal e a sua região, os Açores, André Bradford tinha agora um novo desafio e a nobre missão de continuar uma carreira de serviço público no Parlamento da União Europeia".

"Teria certamente muito ainda para dar à sua família, amigos, à democracia e ao nosso país. Por isso, o Presidente da República lamenta profundamente, em nome de Portugal, o seu desaparecimento extemporâneo", acrescenta.

O eurodeputado do PS André Bradford, de 48 anos, natural de Ponta Delgada, estava em coma induzido desde o dia 08 deste mês, na sequência de um episódio de síncope e paragem cardiorrespiratória, e morreu hoje no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada.

André Bradford foi eleito eurodeputado nas eleições de 26 de maio, às quais concorreu em quinto lugar na lista do PS, e tinha tomado posse recentemente no Parlamento Europeu. Era membro efetivo de duas Comissões do Parlamento Europeu: Agricultura e Desenvolvimento Rural e Pescas, sendo ainda membro suplente na Comissão de Desenvolvimento Regional.

Licenciado em Comunicação Social, André Bradford e tornou-se em 2000 assessor de imprensa da Secretaria Regional do Ambiente do Governo dos Açores, tendo desempenhado depois funções de assessor político e de secretário regional.

Como deputado à Assembleia Legislativa Regional dos Açores, exerceu as funções de líder do grupo parlamentar do PS até ter sido apontado pela estrutura regional do partido para integrar a lista nacional do partido às eleições europeias de 26 de maio de 2019.