Marcelo conta que visita esteve para ser só no dia 13 e que Papa Francisco lhe deu força

Lusa

O Presidente da República contou hoje que a visita do papa Francisco a Fátima esteve para ser só no dia 13, e que o Estado português contou "com grandes aliados para a esticar para dia 12".

Em declarações aos jornalistas, na Base Aérea de Monte Real, em Fátima, Marcelo Rebelo de Sousa falou ainda sobre a conversa que teve com o papa, antes da sua partida para Roma: "As últimas palavras que trocámos foram ele a dar-me força e eu a dar-lhe força".

"E ele precisa mais de força do que eu, porque a tarefa dele é que é verdadeiramente mais importante, porque há tantos conflitos nos quais ele está pessoalmente empenhado como mediador, e a Santa Sé, que nada do que importante no mundo lhe escapa", acrescentou.

Segundo o Presidente da República, o líder da Igreja Católica, "no avião, vai agora trabalhar com uma pastinha numa série de questões internacionais, porque sente que tem um papel a cumprir, muitas vezes com sucesso, outras vezes com menos sucesso, mas que ninguém mais pode cumprir".