António Costa afirma que Europa “não pode ter medo” do futuro

Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu hoje que a Europa “não pode ter medo” do futuro, devendo apostar mais em ciência, um investimento “absolutamente crucial”.

“Num momento em que na Europa há um excesso de medo em relação ao futuro, medo das alterações climáticas ou de sermos capazes de sustentar o nosso modelo social, o melhor que podemos fazer é aproveitar a diversidade que a Europa proporciona para conseguirmos trabalhar em rede, porque assim somos capazes de fazer muito mais do que cada um isoladamente”, disse António Costa.

O primeiro-ministro discursava na Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa, em Almada, distrito de Setúbal, referindo que o investimento em ciência é “absolutamente crucial” para enfrentar os grandes desafios da atualidade.

Na visão de António Costa, a melhor forma de a Europa se proteger dos parceiros económicos não é fechar fronteiras, nem travar o investimento externo, mas sim “investir cada vez mais" nas suas próprias capacidades e na “prioridade certa”.

Essa prioridade deverá ser, segundo o primeiro-ministro, o investimento na “educação, investigação, cultura, inovação e formação ao longo da vida”.