Albuquerque considera "um erro" contestar Rui Rio nesta altura

Os conselheiros nacionais já começaram a falar e a posicionar-se.

O presidente do governo regional da Madeira, Miguel Albuquerque, considerou "um erro" eleições internas a poucos meses das eleições europeias.

Por sua vez, o líder da distrital do PSD de Lisboa, apoiante de Montenegro, disse que Rui Rio não tem condições para levar o PSD até às próximas eleições.

Mota Amaral e Miguel Albuquerque saíram em defesa do líder.

O confronto já começou no Conselho Nacional extraordinário do PSD, no Porto. Pedro Pinto, líder da distrital de Lisboa do PSD, uma das que andou a recolher assinaturas para uma moção de censura ao líder do partido, abriu as hostilidades. Segundo fontes do Conselho, disse que Rui Rio não tem "condições para levar o PSD até às próximas eleições".

O antigo presidente da Assembleia da República, Mota Amaral, saiu em defesa de Rio, defendendo a continuidade do presidente do partido. "Temos os nossos adversários fora do partido". Foi o primeiro a trazer a debate a questão da votação nominal da moção de confiança, tal como já tinha defendido publicamente. "As pessoas devem assumir as suas responsabilidades perante os seus eleitores" e relembrou a votação de quarta-feira na Grã-Bretanha do Brexit. "Sá Carneiro sempre tomou as suas posições de cabeça erguida".