Especialista defendem micoterapia como complemento no tratamento do cancro

A aplicação da micoterapia no tratamento e prevenção de doenças do foro oncológico esteve hoje em debate no XXº Encontro Micológico Transmontano, que decorreu em Mogadouro, no distrito de Bragança, e juntou especialistas que partilharam conhecimentos e experiências.

A micoterapia é uma ciência alternativa, utilizada para ajudar a combater ou prevenir diversas doenças, como cancro, com recurso a variadas espécies de cogumelos medicinais.

Para a médica hematologista Adriana Teixeira, uma das participantes no debate, os cancros, na sua maioria, são provocados por alterações ao meio ambiente, enquanto 10 a 15% da taxa de incidência da doença devem-se a alterações genéticas.

"Para evitar o aparecimento do cancro é preciso ter uma boa alimentação, não fumar ou não estar em contactos com radiações e outros fatores externos. No que respeita a uma boa alimentação, é importante a introdução de cogumelos na nossa dieta já que se trata de uma ótima proteína, já que estes fungos são imunorreguladores", disse a antiga diretora dos serviços de hematologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Por outro lado, a especialista defendeu que os cogumelos, quer em pó ou naturais, devem ser consumidos na fase de tratamento do cancro para ajudar a diminuir os efeitos secundários da quimioterapia ou radioterapia e estimular o sistema imunológico, que fica mais frágil com esses tratamentos.

"Os cogumelos, quando ingeridos em pó, ou seja, de uma forma muito concentrada, têm grandes efeitos para melhorar a ação do nosso corpo na sua luta contra o cancro", vincou.