PSP destrói 9.000 armas

No próximo dia 9 de julho, em que é comemorado o Dia Internacional de Destruição de Armas, a Polícia de Segurança Pública promove a destruição de cerca de 9.000 armas. associando-se assim, e mais uma vez, a este evento mundial, no âmbito das suas competências de controlo e supervisão de armas e munições.

As armas de fogo que vão ser destruídas foram declaradas como perdidas a favor do Estado no âmbito de processos-crime, processos de contra-ordenação ou administrativos, depois de terem sido apreendidas pela PSP e pelas demais autoridades policiais.

Confirmada a sua inutilidade para a atividade operacional, formativa, cultural, museológica ou outra das forças de segurança, o diretor nacional da PSP determinou a sua adequada e preventiva destruição.

A operação decorrerá a partir das 14h50, na empresa Transucatas, na Maia, e contará com a presença da secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna.

Neste dia, agências das Nações Unidas, ONG’s e governos, à escala global, levam a cabo ações semelhantes de destruição de armas, na ideia de que "cada arma destruída não pode mais ser usada para matar, ferir ou intimidar".

A PSP pretende assim chamar a atenção do mundo, dos media e dos cidadãos em geral para a problemática da necessidade do controlo de armas pelas autoridades.