Ex-presidente da TAP diz que atual gestão está a fazer um "belíssimo" trabalho

O ex-presidente executivo da TAP Fernando Pinto alertou hoje que o próximo “desafio” da transportadora aérea passa por enfrentar a subida do preço dos combustíveis, sublinhando que a atual gestão da empresa está a desenvolver um “belíssimo” trabalho.

“Eu acredito muito em todo o trabalho que está a ser feito na TAP hoje, belíssimo trabalho, fizeram já uma reorganização importante e a empresa tem que enfrentar um novo desafio agora que é o preço do combustível”, disse.

O consultor do Conselho de Administração da TAP, que falava aos jornalistas em Ponte de Sor (Portalegre) à margem de uma palestra em que foi orador no âmbito da segunda edição da cimeira aeronáutica “Portugal Air Summit”, acrescentou ainda que a empresa tem que “trabalhar” os custos e as receitas para continuar a desenvolver-se.

Em 24 de abril, o presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, afirmou, numa mensagem enviada aos trabalhadores da companhia aérea, a que a agência Lusa teve acesso, que a empresa tem de “multiplicar por, pelo menos, sete vezes” os “bons resultados” de 2017 – quando passou a lucros de 21,2 milhões de euros – para atingir a média de rentabilidade das congéneres a nível global e assegurar a sustentabilidade.

"Num horizonte de três, quatro anos temos que atingir esses resultados. São resultados que, normalmente, as boas companhias já têm. E a TAP agora com a frota nova que vai entrar, com as rotas novas que tem – apesar da dificuldade no seu crescimento por causa do aeroporto –, vai tentando. Mas, na realidade, no horizonte de três a quatro anos temos que estar a atingir o que o Antonoaldo [Neves] propôs atingir", disse Humberto Pedrosa em resposta à Lusa.

Questionado sobre esta matéria, Fernando Pinto sublinhou que é importante reinventar a empresa, sendo esta uma “estratégia” que também desenvolveu enquanto desempenhou funções na TAP.

“Desde que eu cheguei à TAP, e eu já vinha com quase 30 anos de história na aviação, mais 18 na TAP, o tempo todo nós estávamos a reinventar-nos, eu passei 18 anos reinventando a TAP, e agora veio um novo grupo e está reinventando a TAP também. E ainda bem, a empresa não pode ficar parada”, disse.

O acordo que a transportadora alcançou com os pilotos para a atualização salarial mereceu também um comentário por parte de Fernando Pinto, que considera que ambas as partes “chegaram a um ótimo compromisso”.

“O acordo de longo prazo é um acordo muito bom para todos, eu acho que é um movimento bastante inteligente para os dois lados e que dá tempo de concentrar na outra parte, que é a mais importante: fazer a empresa desenvolver, crescer juntos e prestar o melhor serviço para o passageiro”, concluiu.