NRP Mondego é o novo navio da Marinha

O navio patrulha costeiro NRP Mondego vai hastear pela primeira vez a bandeira de Portugal na cerimónia de passagem ao estado de armamento normal, presidida pelo Secretário de Es que se realizará na próxima segunda-feira, dia 14 de maio de 2018, pelas 11h30.

​O NRP Mondego é constituído por uma guarnição de 25 militares: 5 oficiais, 5 sargentos e 15 praças e o seu primeiro Comandante será o Primeiro-tenente Alexandre Pereira Robalo.

O Mondego será o terceiro navio (após o NRP Tejo e NRP Douro) da nova classe de navios Patrulhas da Marinha Portuguesa, a classe Tejo, que se destina a operar em missões de vigilância, patrulha, de busca e salvamento. Estes navios estão, após a ação de modernização levada a cabo no Arsenal do Alfeite SA, essencialmente vocacionados para funções de segurança e autoridade do Estado no mar e para guarnecer o dispositivo naval padrão da Marinha na região Autónoma da Madeira, reforçar a capacidade de resposta a situações de busca e salvamento marítimo, contribuir para o esforço de fiscalização marítima, apoiar aos órgãos de proteção civil regionais em situações de calamidade ou catástrofe naturais, e cooperar com outros departamentos do Estado com competências no mar.

O navio patrulha costeiro Mondego é um navio modelar do tipo Stanflex 300, construído na Dinamarca em 1992 como plataforma de combate. Fazia parte de uma esquadra com capacidades polivalentes, dividida por três séries, consoante o tipo de missão principal a que se destinavam. Contruídos em fibra para uma menor assinatura magnética, com 54 metros de comprimentos e uma boca de 9 metros, deslocando perto de 400 toneladas e um calado máximo de 3,4 metros, os navios da classe Tejo, graças à sua construção modelar, permitem mudanças na sua configuração em curto espaço de tempo.

A cerimónia contará com as presenças do Secretário de Estado da Defesa Nacional, Dr. Marcos Perestrello, e do Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante António Mendes Calado.