PCP questiona Governo sobre alegado "conflito de interesses" na RTP

Lusa

O grupo parlamentar do PCP questionou hoje o Governo do PS sobre a produção autónoma de programação da RTP, através de um requerimento, no parlamento, referindo desconforto entre os trabalhadores pela subcontratação de conteúdos a empresas privadas.

As duas questões enviadas pelos comunistas ao ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, surgem após serem noticiados pelo Correio da Manhã alegados conflitos de interesses protagonizados por membros da administração e da direção da estação pública de televisão, nomeadamente Nuno Artur Silva e Daniel Deusdado, em virtude de terem tido ligações a empresas de produção audiovisual (Produções Fictícias, Canal Q, Farol de Ideias, O Estado do Sítio), denunciados pelos representantes dos funcionários.

"Tem o Governo conhecimento da situação de desconforto entre a Comissão de Trabalhadores da RTP e o Conselho de Administração? Que análise faz do mesmo? Que medidas pretende o Governo tomar para que possa haver um reforço da produção própria da RTP?", pergunta a deputada do PCP Diana Ferreira no documento.

Segundo os comunistas, "o serviço público de rádio e televisão deve ter todas as condições para uma forte e significativa produção própria de conteúdos, reservando a subcontratação para situações pontuais, além do papel que deve ter na divulgação e afirmação do cinema português e de outras artes e cultura".