Governo lança portal com informações para estudantes e investigadores portugueses no estrangeiro

Lusa

O Governo lançou hoje um portal de apoio à mobilidade internacional de estudantes, investigadores, docentes e não docentes portugueses com informação e recomendações de apoio sobre o país escolhido para estudar ou investigar.

O Study & Research Abroad foi desenvolvido pelos Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em articulação com a Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação e a Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Este portal (abroad.study-research.pt) facilita informação sobre o país escolhido e visa dar a conhecer a rede de postos consulares de Portugal, tratar da documentação necessária e planear o orçamento necessário para estudar no estrangeiro.

A apresentação desta iniciativa foi hoje realizada, no âmbito do encontro de reflexão do Programa Erasmus em Portugal, dedicado a refletir e a perspetivar o futuro do Programa Erasmus em Portugal, e que decorreu em Lisboa.

Segundo a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo, esta iniciativa conjunta pretende disponibilizar informação e materiais de apoio para todos os estudantes, cientistas e investigadores portugueses permitindo que tenham uma ligação direta com a sua comunidade e beneficiar do apoio que a rede consular proporciona.

“É uma ferramenta também importante no que diz respeito ao crescimento, à afirmação e visibilidade da diplomacia cientifica portuguesa e a comunidade de portugueses nos estrangeiros. Todos os que partem, sobretudo os estudantes Erasmus recebem um cartão de visita personalizado. Cada estudante, jovem cientista pode colocar os seus contactos e ficar em contacto com os serviços consulares da região de destino”, adiantou.

O secretário de Estado das Comunidades Portugueses, José Luís Carneiro, explicou que os dados da emigração de 2016 permitem concluir que saíram de Portugal 100 mil pessoas e dessas 60 por cento regressaram em períodos inferiores a um ano, dados que revelam uma cada vez maior mobilidade dos portugueses, parte dela feita por estudantes e investigadores.

Muitos destes estudantes e investigadores, adiantou, desconhecendo algumas das regras dos países de acolhimento assim como das suas normas legais acabam por viver situações de perigo, e o portal pretende estabelecer essa ligação com os portugueses para que possam ser ajudados.

“Entendemos assim preparar um conjunto de informações uteis para quem vai sair do país e para quem está nos diferentes países, informando sobre os canais que devem ser usados na obtenção de informação para que estejam mais protegidos”, disse.

Além deste portal os estudantes terão ainda acesso a um kit disponibilizado através da Agência Nacional Erasmus + Educação e Formação e entregue no momento em que seja iniciado o processo de mobilidade internacional académica e científica.