Vem aí a 'Semana Mundial da Máscara'

Várias organizações e empresas internacionais lançaram hoje a 'Semana Mundial da Máscara', entre 7 e 14 de agosto, pretendendo sensibilizar a população mundial a utilizar máscaras de prevenção da covid-19 em público.

"Dado o aumento exponencial alarmante dos casos de infeção por todo o globo, a utilização de máscaras comunitárias em público é fundamental para travar a propagação da covid-19, mesmo que a situação seja diferente em todo o mundo. Até termos vacinas ou medicamentos para combater a covid-19, a proteção facial continua a ser uma das melhores ferramentas que temos -- em particular quando o distanciamento social não é prático", refere um comunicado hoje divulgado pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

O diretor do África CDC, John Nkengasong, sublinhou que a covid-19 é "uma doença respiratória causada pela transferência de gotículas" e que, dado o apressar da propagação da doença em África, as autoridades "devem aumentar o cumprimento das medidas sociais e de saúde pública", de modo a proteger a população e a economia.

"Devemos aumentar a utilização massiva de máscaras enquanto expandimos os serviços de testagem e tratamento", vincou Nkengasong.

A "Semana Mundial da Máscara" pretende encorajar população e organizações em todo o mundo a entenderem o papel do uso da máscara no combate à propagação da covid-19.

Além de organizações como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a África CDC ou a sua congénere norte-americana e a Fundação CDC dos EUA, participam na iniciativa mais de 40 empresas, incluindo as gigantes tecnológicas Facebook e Google.

KX Jin, responsável pela área da saúde na Facebook, considerou que o "abrandamento da propagação da covid-19 requer que toda a gente desempenhe um papel" na sua proteção e da sua comunidade.

Karen DeSalvo, responsável do departamento de saúde da Google, apontou que a empresa norte-americana "está comprometida a ajudar a partilhar uma simples mensagem: utilize a máscara", apresentando sugestões no seu motor de pesquisa e no serviço de mapas.

A Fundação da CDC EUA, através da sua presidente, Judy Monroe, disse estar "comprometida em apoiar a resposta à ameaça de saúde pública colocada pelo" novo coronavírus e sublinhou que "usar uma máscara facial de forma constante e correta é uma das mais importantes ações" que a população pode ter para o combate à pandemia.

Nas redes sociais, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, lançou o desafio #WearAMask (use a máscara) para assinalar o início da "Semana Mundial da Máscara", apelando para que os utilizadores partilhem fotos e vídeos das suas máscaras.

A indústria dos videojogos, através da iniciativa #PlayApartTogether (jogar separados, juntos), vai integrar mensagens e imagens da "Semana Mundial da Máscara" em vários títulos.

Da mesma forma, também a empresa de meios de comunicação em massa norte-americana iHeartMedia irá entregar conteúdos da "Semana Mundial da Máscara" na sua programação.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 708 mil mortos e infetou mais de 18,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.743 pessoas das 52.061 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Em África, há 21.050 mortos confirmados em mais de 976 mil infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de casos e de mortos (4.821 infetados e 83 óbitos), seguindo-se Cabo Verde (2.689 casos e 27 mortos), Guiné-Bissau (2.032 casos e 27 mortos), Moçambique (2.120 casos e 15 mortos), Angola (1.344 infetados e 59 mortos) e São Tomé e Príncipe (878 casos e 15 mortos).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.