MADEIRA Meteorologia

Líder parlamentar do Chega diz que partido marcou diferença na sessão com Lula da Silva

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
25 Abril 2023
12:18

O líder parlamentar do Chega juntou-se hoje à manifestação que o partido organizou no exterior do parlamento para afirmar que o seu partido marcou a diferença ao condenar a presença do Presidente brasileiro em Portugal.

Pedro Pinto esteve acompanhado pelos restantes deputados do partido, à exceção do líder, André Ventura, que virá participar na manifestação assim que terminar a sessão solene sobre o 25 de abril.

"Marcámos a diferença. Mostrámos que tem de haver tolerância zero à corrupção", afirmou Pedro Pinto numa breve intervenção diante da cerca de um milhar de participantes na manifestação organizada pelo Chega e que contou com a participação do Movimento Partido da Terra (MPT) e de várias associações de brasileiros em Portugal.

Criticando a presença de Lula da Silva em Portugal, Pedro Pinto recorreu a uma das principais palavras de ordem da manifestação - "Lula, ladrão, o teu lugar é na prisão" - para garantir que a luta do partido contra a corrupção vai continuar sem tréguas.

"Se não lutarmos, qualquer dia ainda veremos José Sócrates (antigo primeiro-ministro português que está acusado pela justiça) a discursar outra vez no parlamento", afirmou Pedro Pinto.

"Estamos no caminho certo para sermos governo", terminou o líder parlamentar da terceira força política portuguesa.

"Ventura vai em frente, tens aqui a tua gente", foi a frase que se começou a gritar após Pedro Pinto, ladeado por vários deputados do Chega, terminar a intervenção.

Os manifestantes, cujo número tem vindo a aumentar, atingindo pouco antes do meio-dia cerca de um milhar, estão a ocupar metade da Avenida D. Carlos I, junto ao cruzamento que dá acesso à Assembleia da República.

Se a chegada de Lula da Silva ao parlamento, feita pelo outro lado do edifício, pela Rua de São Bento, onde há uma outra manifestação, mas de apoio ao Presidente brasileiro, passou praticamente despercebida, os protestos subiram de tom quando foi anunciado que o chefe de Estado estava a discursar no hemiciclo.

Mais barulho se fez quando a organização da manifestação referiu que os parlamentares do Chega estavam a empunhar cartazes anticorrupção na altura em que Lula da Silva discursava, o que levou à interrupção da intervenção, com o presidente do parlamento, Augusto Santos Silva, a manifestar indignação perante tal comportamento.

O barulho subiu ainda mais de tom quando se deu o momento da saída da comitiva do Presidente brasileiro do parlamento português.

Apesar de Lula da Silva já ter deixado a Assembleia da República, os manifestantes do protesto organizado pelo Chega continuam no local, a gritar as mesmas palavras de ordem - "Lula, Ladrão, o teu lugar é na prisão" ou "Tolerância zero à corrupção", ao som do rufar dos tambores do grupo "Amigos da Borga" -, aguardando que o líder do partido, André Ventura, venha juntar-se, o que só acontecerá depois de terminada a sessão solene comemorativa do 49.º aniversário do 25 de Abril.

Lusa

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Concorda com o investimento de 14 milhões de euros num navio de investigação?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas