Várias cidades da Venezuela estão em clima de tensão.

Tomam conta das ruas de Caracas e das regiões ao redor da capital, os protestos contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

 Segundo as organizações não governamentais (ONGs), mais de 30 manifestações se espalharam pelo país até as primeiras horas de hoje (22).

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, escreveu na sua conta da rede social Twitter que hoje "os olhos do mundo estarão" na Venezuela e reiterou o seu apelo às Forças Armadas para apoiarem "o caminho" com o qual esperam acabar com a chamada revolução bolivariana, no poder desde 1999.

O Fórum Penal Venezuela (FPV) anunciou hoje que pelo menos 43 pessoas foram detidas na Venezuela nas últimas 48 horas, quando participavam em protestos contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro.