Covid-19: Ministro da Saúde da Roménia pede demissão em plena pandemia

Lusa

O ministro da Saúde da Roménia apresentou hoje a sua demissão, em plena crise da pandemia da covid-19, depois de anunciar na noite de quarta-feira que faria testes ao novo coronavírus aos dois milhões de habitantes de Bucareste.

O primeiro-ministro romeno, Ludovic Orban, explicou que a renúncia do ministro Victor Costache deveu-se a "razões profissionais e pessoais", sem dar mais detalhes.

No entanto, vários meios de comunicação locais afirmaram que Costache renunciou devido à pressão de Orban, depois de o ministro anunciar a campanha de teste de porta em porta em Bucareste.

Segundo muitos especialistas, esta iniciativa é praticamente impossível, já que Bucareste tem cerca de dois milhões de habitantes e a Roménia até agora não realizou mais do que 14.600 testes em todo o país.

O secretário de Estado da Saúde, Nelu Tataru, substituirá interinamente Costache à frente no Ministério.

Até o momento, a Roménia confirmou 906 casos de coronavírus e 17 mortes.

O país dos Balcãs espera receber 200.000 testes esta semana da Coreia do Sul.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a OMS a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 240.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 7.503 mortos em 74.386 casos registados até hoje.