Vaticano autoriza licença de cardeal Pell para defesa de acusações de pedofilia

Lusa

O cardeal George Pell, ministro das Finanças do Vaticano, disse hoje que pediu uma licença para se defender, já aceite pelo papa, na sequência das acusações da polícia australiana sobre abusos sexuais.

O cardeal George Pell, ministro das Finanças do Vaticano, disse hoje que pediu uma licença para se defender, já aceite pelo papa, na sequência das acusações da polícia australiana sobre abusos sexuais.

George Pell adiantou aos jornalistas que vai comparecer e negou as acusações que classificou de “assassinato de caráter”.

Greg Burke, porta-voz do Vaticano disse que o papa Francisco autorizou a licença pedida pelo cardeal australiano, mas que George Pell mantém o cargo de máximo responsável pelas Finanças da igreja católica.

Principal conselheiro financeiro do papa Francisco e o mais alto representante da igreja católica na Austrália, George Pell é o mais alto membro do Vaticano a ser formalmente indiciado por crimes relacionados com abuso sexual de menores.

A polícia do Estado australiano de Victoria acusou o cardeal de 76 anos de alegados crimes de abusos sexuais de menores tendo sido intimado a comparecer perante o tribunal de primeira instância de Melbourne no dia 18 de julho.