Pequim cancela festejos do Ano Novo chinês para conter propagação

A cidade de Pequim anunciou hoje o cancelamento das populares festividades que assinalam o Ano Novo chinês devido à epidemia viral que já provocou a morte a 17 pessoas na China.

As férias de Ano Novo começaram na sexta-feira e prolongam-se por uma semana.

Tradicionalmente, os habitantes de Pequim reúnem-se às centenas de milhares nos parques e jardins da capital para assistir às tradicionais danças do dragão e do leão.

A medida destina-se a conter a epidemia de um novo tipo de coronavírus que apareceu no mês passado na cidade de Wuhan (centro) e se propagou a outras cidades e países, infetando centenas de pessoas.

A grande maioria dos 571 casos diagnosticados na China foram em Wuhan, um pólo industrial e de transportes na província de Hubei.

Outros casos foram diagnosticados em Macau, Hong Kong, Japão, Coreia do Sul, Tailândia, Taiwan e Estados Unidos, a maior parte dos quais em pessoas que tinham estado em Wuhan.

O cancelamento das festividades de Ano Novo em Pequim segue-se a outras medidas de contenção do vírus, como a proibição de entrada e saída de três cidades – Wuhan (11 milhões de habitantes), Huanggang (7,5 milhões) e Ezhou (um milhão).