Homem resgatado após 23 dias sujeito a temperaturas negativas no Alaska (Vídeo)

Um homem de 30 anos sobreviveu à exposição a temperaturas negativas no Alasca durante 23 dias. A história de sobrevivência de Tyson Steele culminou na passada quinta-feira quando foi resgatado pela polícia do Alasca, que o encontrou numa zona remota. O homem estava perto de um abrigo improvisado e desenhou um sinal de SOS na neve, segundo a Sky News, citada pelo Notícias ao Minuto.

O homem vivia isolado, tendo apenas a companhia do seu cão Phil, numa habitação feita de plástico e lonas. No passado dia 17 de dezembro, essa habitação ardeu por completo e o canídeo morreu.

Sem meios para comunicar com a sua família ou com as autoridades, com o seu vizinho mais próximo a 32 quilómetros de distância, nenhuma estrada por perto e rodeado de floresta, montanhas e rios, a única opção de Steele era tentar sobreviver à natureza extrema e temperaturas geladas do Alasca e esperar pelo resgate.

Depois de conseguir extinguir o incêndio, recuperou alguma da comida que tinha armazenado na habitação e que lhe daria para dois anos. Nas primeiras noites, Tyson Steele dormiu num saco cama numa pequena gruta que escavou na neve. Mas face às temperaturas negativas, teve de construir um abrigo improvisado e escreveu o sinal de SOS na esperança de que alguém a sobrevoar a área o visse, revela a mesma fonte.

Há semanas sem notícias de Steele, os seus familiares e amigos pediram às autoridades para verificarem o bem-estar do homem. E foi assim que na quinta-feira uma equipa da polícia do Alasca num helicóptero vislumbrou o sinal de SOS e viu Steele a acenar-lhes, um momento que foi registado em vídeo e publicado no Facebook da polícia.

Foi transportado para Anchorage, onde os seus primeiros pedidos foram concretizados: um banho e uma refeição no McDonald’s.