Visitante comeu banana de 108 mil euros em exposição de arte (Com vídeo)

Foi notícia nos quatro cantos do mundo, tornou-se na banana mais cara de sempre e foi comida. A polémica instalação de arte presente na 18.ª edição da Art Basel Miami Beach, na Califórnia, sofreu este sábado um revés ao ser 'destruída' por um visitante, o artista performativo nova-iorquino David Datuna, avança o Notícias ao Minuto.

Datuna removeu a fita adesiva que colava a banana à parede da galeria e comeu-a em frente a dezenas de visitantes, que registaram o momento. Recorde-se que se trata da instalação da autoria do artista italiano Maurizio Cattelan que na semana passada foi vendida a um colecionador privado, em Paris, por 120 mil dólares (108 mil euros).

Uma banana foi, efetivamente, consumida mas isso não beliscou a integridade da instalação 'Comedian', que está representada em mais do que um local. "Ele não destruiu a obra de arte. A banana é apenas a ideia", explicou Lucien Terras, relações públicas das Galerias Perrotin, de acordo com a mesma fonte, que cita o Miami Herald.

Contudo, aquilo que vale 120 mil dólares não é a banana e a fita adesiva, que representam apenas a execução da ideia mas, sim, o Certificado de Autenticidade. Quando os colecionadores de arte pagam avultadas quantias, estão a comprar este documento. Neste caso, o próprio artista refere que a banana deve ser substituída, dado tratar-se de um bem perecível.

Refere o TMZ que Datuna foi retirado do local por seguranças e levado para um local resguardado, onde foi questionado pela polícia. O artista foi libertado mas poderá vir a ser alvo de um processo.

No Instagram, Datuna diz que não pretendia ofender. "Eu adoro as obras de arte de Maurizio Cattelan e gostei muito desta instalação. Estava muito deliciosa", explicou.

Nascido em Pádua, em 1960, Cattelan vive e trabalha em Nova Iorque, tendo alcançado notoriedade com 'A Nona Hora', uma estátua de cera do papa João Paulo II atingido por um meteorito, exibida em 1999 na Kunsthalle Basel.

Entre outras obras de destaque, Catellan substituiu, em 2016, uma sanita do museu Guggenheim com uma réplica de ouro, disponível ao público.

Assista ao momento.