Espanha/Eleições: ERC admite contactos com Pedro Sánchez se "ele telefonar"

O líder do Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), Gabriel Rúfian, admite contactos com Pedro Sánchez se o primeiro-ministro tomar a iniciativa.

"Já veremos, ele que nos telefone", disse Gabriel Rúfian quando questionado pelos jornalistas sobre a possibilidade de contactos entre o ERC e Pedro Sánchez (PSOE) sobre a amnistia para os condenados do Processo independentista ou mesmo sobre a realização de um referendo na Catalunha.

Os resultados provisórios apontam a descida do ERC, que tinha 15 deputados, para 13 lugares na Assembleia Nacional.

Rúfian disse que "é normal" porque o partido Candidatura de Unidade Popular (CUP), que concorre pela primeira vez numas legislativas, "é uma marca consolidada" na região autónoma.

"Nós somos o que somos, temos de repartir (resultados)" acrescentou Rúfian sobre a eleição de dois deputados do CUP mas sublinhou que conseguiu vencer os socialistas, na Catalunha, que conseguem eleger 12 deputados, menos um que o ERC.

Mesmo assim, diz Rúfian que o resultado do ERC teve um "duplo mérito" tendo em conta as circunstâncias políticas, sobretudo pela presença da extrema-direita (Vox).

Anteriormente, no discurso em catalão, Gabriel Rúfian disse que a subida do Vox, a nível nacional, é "uma má notícia".

Os militantes independentistas presentes na sala gritaram a palavra de ordem "não passarão" quando o líder do partido se referiu à extrema-direita.

"Esta foi campanha foi a mais dura (...) Senti raiva pelas mentiras de (Alberto) Rivera (Cidadãos) e agradeço aos meus companheiros", conclui Gabriel Rúfian que dirigiu cumprimentos à CUP e aos independentistas do País Basco.

No que se refere à Catalunha, os resultados provisórios apontam para a eleição de 13 deputados do ERC; 12 do PSC; 7 do Cómun Podem; 2 da CUP, enquanto Cidadãos, Partido Popular e Vox, elegeram 2 lugares cada.