Insólito: Guardas de tribunal brasileiro têm réguas para medir altura das saias das advogadas

Uma juíza brasileira deu instruções aos seguranças para não deixarem entrar nenhuma advogada com saias ou vestidos que fiquem mais de cinco centímetros acima dos joelhos, de acordo com o Correio da Manhã.

Os guardas da portaria do Tribunal de Iguaba Grande, no Rio de Janeiro, têm réguas para medir a altura das saias e linha e agulha para reduzir as bainhas. Têm até ordens para fazer com que as advogadas se dobrem, e usam umas fotografias nos seus computadores com as medidas consideradas corretas pela juíza.

A juíza Maira de Oliveira diz que o objetivo é "manter a compostura" na sala de audiências e "impedir que os homens se distraiam".

A insólita situação já motivou a apresentação de uma queixa à corregedoria da secção do Rio de Janeiro da Ordem dos Advogados do Brasil.

A presidente da ordem, Margoth Cardoso, estranhou que uma medida tão machista tenha partido de uma mulher. E disse que a queixa foi o último recurso. Inicialmente, tentou falar com a juíza, alertá-la para a humilhação que as advogadas sentiam e demovê-la. Em vão. Maira de Oliveira manteve-se intransigente.