O último desejo de criança britânica de oito anos diagnosticada com cancro terminal

Um menino de oito anos, até então saudável, foi diagnosticado em setembro com um cancro terminal com uma taxa de sobrevivência de 0%. O seu último desejo é visitar o Pai Natal, na Lapónia.

Victoria Morrison deixou o filho Kyle na escola em Cheshunt, Inglaterra. Algumas horas depois, recebeu uma chamada a dizer que tinha de ir buscá-lo. Quando chegou, Victoria percebeu que algo estava errado. "Ele estava a ter um derrame. O lado direito do rosto dele descaiu. Era percetível", disse a mãe ao jornal The Mirror, citado pelo Correio da Manhã.

A mãe colocou o filho no carro e seguiu para o hospital. Kyle assegurou que estava bem, que não tinha dores e que queria ir para casa. Os médicos contrariaram as afirmações do menino e obrigaram-no a passar a noite no hospital.

De acordo com o Correio da Manhã, no dia seguinte o menino foi submetido a um exame de ressonância magnética e durante a tarde receberam os resultados. "Fui chamada para a sala e recebi a notícia de que ele tinha um tumor", explicou Victoria ao jornal.

Kyle tem um glioma pontino intrínseco difuso, um tumor maligno que na maioria das crianças dá um prazo de vida entre um a quatro meses. "É um tumor cerebral do sistema nervoso. O tumor está no tronco cerebral", explicou a mãe.

A 23 de setembro levou o filho ao hospital para receber o primeiro tratamento de radioterapia: "Tudo o que vi foi uma luz vermelha a subir e a descer pelo seu corpo enquanto ele gritava".

Esta segunda-feira, Kyle irá iniciar mais uma sessão de radioterapia. Depois disso irá voltar para a escola durante dois dias por semana, confirmou a mãe.

Para ajudar o menino a aproveitar o tempo que lhe resta, foi criada uma página em seu nome. Até agora, mais de 420 pessoas doaram quase 12 mil euros para realizar o sonho de Kyle, visitar o Pai Natal na Lapónia.