Clima: Papa pede "verdadeira vontade política" para cumprir compromissos

Lusa

O Papa Francisco pediu hoje "verdadeira vontade política" para enfrentar as alterações climáticas, considerando que os compromissos globais "ainda são muito fracos".

Falando por vídeoconferência na Cimeira da Ação Climática que decorre hoje nas Nações Unidas, o líder da Igreja Católica agradeceu à organização por ter cativado a atenção "da opinião pública mundial sobre um dos fenómenos mais graves e preocupantes do nosso tempo, as alterações climáticas".

"Honestidade, responsabilidade e coragem" são os atributos necessários na "resposta coletiva" que os países signatários do Acordo de Paris, de 2015, concordaram em dar.

Contudo, "passados quatro anos, os compromissos alcançados pelos Estados ainda são muito fracos e estão longe" de conseguir dar uma resposta adequada ao problema.

"É preciso perguntar se existe uma verdadeira vontade política para fazer esforços maiores na mitigação dos efeitos negativos das alterações climáticas", questionou.

O planeta sofre, alertou o chefe da igreja católica, cuja mensagem foi interrompida devido a problemas técnicos.