EUA: Pais perdem guarda de menino com cancro porque deixaram de levá-lo à quimioterapia

Um casal norte-americano perdeu a guarda do filho de quatro anos, depois de ter deixado de levar o menino, que sofre de cancro, à quimioterapia, avança o SOL.

O caso ocorreu na Florida, nos Estados Unidos, em maio deste ano. Taylor Bland e Joshua McAdams pararam de levar o filho à quimioterapia, depois de terem decidido em conjunto que o menino, que foi diagnosticado com leucemia linfoblástica aguda em abril, deveria ser tratado com canábis medicinal, ervas e água alcalina.

Para fugir aos tratamentos médicos, o casal optou por mudar de estado para não ser encontrado, no entanto, as autoridades, depois de informadas sobre a situação, começaram a procura pelo casal e acabaram por encontrar a família no estado norte-americano do Kentucky.

O juiz Thomas Palermo decidiu que o melhor para a criança era morar com a avó materna e continuar a fazer quimioterapia, que é a "única maneira de garantir a saúde, a segurança e o bem-estar" do menino. Segundo o juiz, nesta altura, voltar a estar sob o cuidado dos pais coloca a criança num “risco de negligência iminente”.

A advogada dos pais da criança já veio a público declarar que os pais estão a pensar recorrer da decisão do tribunal. "A criança está a passar por uma experiência médica absolutamente traumática e isso está a acontecer sem os pais", disse Brooke Elvington.

Taylor Blond tem feito várias publicações no Facebook onde continua a apoiar o tratamento com canábis medicinal, a fala sobre as consequências negativas da quimioterapia e a pedir que o filho regresse para perto dos pais. Numa das publicações mais recentes, a mulher partilhou a fotografia de uma jovem que, alegadamente, se curou da leucemia através do tratamento de canábis.