Brexit: Congresso dos EUA chumbará pacto comercial que ponha em risco paz na Irlanda

Lusa

Um acordo comercial entre os Estados Unidos e o Reino Unido que comprometa o Acordo de Sexta-Feira Santa não tem “nenhuma hipótese” de ser aprovado pelo Congresso, advertiu hoje a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi.

A responsável Democrata reagia a declarações do conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, John Bolton, que afirmou durante uma visita a Londres que o Reino Unido “é sempre o primeiro da fila” para um tratado comercial com os Estados Unidos.

“Se o ‘Brexit’ comprometer o Acordo de Sexta-Feira Santa não há nenhuma hipótese de um acordo comercial EUA-Reino Unido ser aprovado pelo Congresso”, advertiu Pelosi num comunicado, referindo-se aos acordos de paz de 1998 que puseram fim a 30 anos de violência na Irlanda do Norte.

Qualquer acordo comercial celebrado pela administração norte-americana tem de ser aprovado pelo Congresso, sendo que os Democratas têm a maioria na câmara baixa (Câmara dos Representantes) e os Republicanos a maioria na câmara alta (Senado).

“A paz proporcionada pelo Acordo de Sexta-Feira Santa é cara aos americanos e será ferozmente defendida pelas duas câmaras e pelos dois partidos”, acrescentou Pelosi.

Um membro da Câmara dos Representantes Republicano, de origem irlandesa, Pete King, afirmou em julho ao jornal The Guardian que não hesitaria opor-se ao Presidente Donald Trump se o ‘Brexit’ colocasse em risco a ausência de uma fronteira entre a República da Irlanda, membro da União Europeia (UE), e a Irlanda do Norte, parte do Reino Unido.

O novo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu que o Reino Unido vai sair da UE a 31 de outubro, com ou sem acordo.

Na visita que fez a Londres, Bolton afirmou que Washington e Londres podem assinar acordos comerciais setoriais antes de um pacto global para ajudar o Reino Unido a lidar com as consequências de uma saída sem acordo.