Humanidade atinge limite do uso sustentável de recursos naturais para este ano

A Humanidade atinge esta segunda-feira o limite do uso sustentável de recursos naturais disponíveis para 2019, de acordo com o Correio da Manhã.

"Este ano o limite é atingido três dias mais cedo", refere a Associação Ambientalista Zero, citada pela mesma fonte, alertando para o facto de Portugal já ter atingido este limite há mais de dois meses, a 26 de maio.

"Se todos os países tivessem a mesma pegada ecológica que o nosso seriam necessários dois planetas e meio", afirma Francisco Ferreira, presidente da Zero, frisando que "o consumo de alimentos (32%) e a mobilidade (18%) são as atividades humanas que mais contribuem para a pegada ecológica de Portugal".

Para que haja uma mudança, a associação ambientalista defende "a promoção de uma dieta alimentar saudável e sustentável, com redução do consumo de proteína de origem animal e um aumento significativo do consumo de hortícolas, frutas e leguminosas secas".

Quanto à mobilidade, a Zero propõe a melhoria dos transportes públicos, partilha do transporte e a transição para a mobilidade elétrica. Defende ainda a economia circular, com menor uso de materiais, promoção da reutilização e maior tempo de vida de bens e equipamentos.

É preciso 1,75 planetas com consumos atuais
A Humanidade já consome 1,75 planetas Terra por ano. Esta sobre-exploração reflete-se na deflorestação, erosão do solo, perda de biodiversidade e aumento do carbono na atmosfera, o que provoca as alterações climáticas.

Ação política e empresas
A mudança de estilos de vida pode reduzir a pegada ecológica, mas a associação Zero alerta que "a ação política e das empresas em vários setores é crucial".

Uma mudança por mês
Fazer uma mudança por mês no estilo de vida, no sentido de o tornar mais sustentável, é uma das formas de contribuir para a redução da pegada ecológica.