Insólito: Mulher despede-se de restaurante por ter sido proibida de falar a própria língua

Uma mulher despediu-se da cadeia de restaurantes de 'fast food' KFC, após receber ordens para parar de falar galês, de acordo com o Correio da Manhã.

Ceri Hughes começou a trabalhar na empresa americana em Bangor, no norte de Gales, no início do verão. Depois de estar à experiência por um mês, Ceri, de 27 anos, começou a trabalhar com um membro inglês do staff.

A jovem revelou que o novo parceiro avisou que apenas poderia dialogar com os clientes em inglês, de acordo com a mesma fonte, que cita o The Mirror.

"Decidi despedir-me porque não queria estar lá, pois não poderia falar a minha língua mãe. O gerente disse que eu estava errada, e afirmou que a razão de ter ido embora era extremamente inválida", revelou.

"Sou fluente em inglês, mas estou mais confortável em galês. Fiquei totalmente enojada por não poder usar a minha língua no meu país", acrescentou.

Um porta-voz do KFC disse: "No KFC, todos nós falamos a mesma língua, a língua do amor pela receita original do frango. Queremos que os membros da nossa equipa falem o idioma com o qual eles, e os nossos clientes, se sentem à vontade".

Tamsin Davies, da Sociedade de Língua Galesa, explicou: "Isto é uma alegação muito séria. E, se for verdade, é completamente inaceitável. A KFC deve pedir desculpas e adotar uma política clara de que os funcionários e clientes tenham um direito incondicional de comunicar em galês".