Colisão entre comboios causa 20 mortos e 80 feridos no Paquistão

Lusa

O número de vítimas de uma colisão entre dois comboios, hoje no sul do Paquistão, aumentou para 20 mortos e 80 feridos, segundo fontes oficiais paquistanesas.

A colisão entre os dois comboios, um de passageiros e outro de mercadorias, ocorreu por volta das 04:00 (00:00 em Lisboa) na estação de Walhar, quando o comboio de passageiros colidiu com um mercadorias que se encontrava estacionado, disse à agência noticiosa espanhola Efe o porta-voz do ministério das Ferrovias, Ali Nawaz Malik.

O porta-voz da polícia do distrito de Rahim Yar Khan, Akbar Ali, divulgou um novo balanço sobre o acidente e anunciou que o número de mortes, que estava nas 10, subiu para as 20 e o número de vítimas, que antes eram 40, subiu para as 80.

As causas do acidente, segundo a fonte do ministério, foram “negligência humana” e uma falha na “sinalização”.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, já expressou a sua "tristeza" pelo acidente e pediu medidas de emergência para prevenir acidentes no futuro.

"Pedi ao ministro das Ferrovias para tomar medidas de emergência (…) para garantir os padrões de segurança", escreveu o primeiro-ministro do país na sua conta na rede social Twitter.

Os acidentes de comboio são comuns no país. No mês passado, morreram três pessoas após uma colisão entre dois comboios, um de passageiros e outro de cargas, no sul do país.

Em novembro de 2015, um acidente ferroviário provocou 13 mortes e uma centena de feridos, na província do Baluchistão, no sudoeste do país.

Para além dos acidentes, a ferrovia do país também é alvo de ataques com bombas.

Em março, pelo menos três pessoas morreram e sete ficaram feridas num ataque com bomba contra um comboio, o que fez com que várias carruagens descarrilassem, também no Baluchistão.