Anarquistas gregos vandalizaram entrada da residência do embaixador dos EUA

Lusa

Ativistas do grupo anarquista grego Rubicon mancharam com tinta a entrada da residência do embaixador norte-americano em Atenas em protesto contra a prisão de um militante de extrema-esquerda condenado por homicídio.

“Ao acordar hoje de manhã encontrei este ato de vandalismo infantil em frente à residência. Vou trabalhar com as autoridades gregas no sentido de punir os culpados”, disse o embaixador Geoffrey Pyatt através de uma mensagem transmitida através da rede social Twitter.

“Danificar a propriedade não é uma forma pacífica de protestar”, acrescentou o embaixador dos Estados Unidos na Grécia.

Até ao momento, a polícia interrogou nove pessoas no quadro da investigação sobre o incidente.

O grupo anarquista Roubicon, ativo nos últimos anos, reivindicou a operação afirmando que se tratou de uma demonstração de apoio a Dimitris Koufodinas, um dirigente da organização de extrema-esquerda “17 de Novembro”.

O nome do grupo – desmantelado em 2002 - tem origem nas lutas dos estudantes gregos contra a ditadura militar, particularmente nos incidentes de 17 de novembro de 1973.

O “17 de Novembro” levou a cabo dezenas de atentados entre 1975 e 2000, que fizeram 23 mortos ao longo dos anos, entre os quais o chefe de estação da CIA em Atenas, Richard Welch, empresários gregos, diplomatas turcos e um oficial de ligação militar britânico.

Imagens registadas em vídeo pelo grupo Rubicon mostram motociclistas a lançarem tinta vermelha e preta para a porta da residência do embaixador dos Estados Unidos em Atenas.

O grupo já realizou vários protestos do género contra embaixadas na capital grega, nos últimos anos

Dimitris Koufodinas, condenado a várias penas de prisão perpétua encontra-se em greve de fome desde o dia 02 de maio, depois de lhe ter sido recusado um pedido de liberdade condicional.

As autoridades gregas aprovaram nos últimos dois anos seis pedidos semelhantes provocando críticas por parte das embaixadas dos Estados Unidos e do Reino Unido e dos familiares das vítimas dos atentados do grupo “17 de Novembro”.

Os anarquistas organizaram nos últimos dias uma série de atos de protesto de apoio a Koufodinas em Atenas e na cidade de Salónica, no norte do país.