Notre-Dame: Questão fundamental é saber "como vai resistir a estrutura"

Lusa

O secretário de Estado do interior francês declarou hoje que, uma vez afastado o "perigo do fogo" na catedral de Notre-Dame de Paris, a questão fundamental é, a partir de agora, saber "como vai resistir a estrutura".

"O perigo do fogo j√° foi afastado, a quest√£o agora √© o edif√≠cio: como √© que a estrutura vai resistir ao inc√™ndio da noite passada", afirmou Laurent Nu√Īez, em declara√ß√Ķes √† imprensa ao in√≠cio da manh√£.

"Haverá, portanto, uma reunião às 08:00 (07:00 em Lisboa) com especialistas e arquitetos para tentar determinar se a estrutura é estável, e se os bombeiros podem permanecer dentro do edifício para continuar a missão", acrescentou.

Cerca de 400 bombeiros lutaram durante quase 12 horas contra as chamas que destruíram um dos edifícios icónicos de Paris e da arte gótica, apesar do fogo já ter sido dado como "parcialmente extinto" e "completamente contido" pelas autoridades. Neste momento, cerca de uma centena de bombeiros continua no local.

O incêndio começou cerca das 18:50 (17:50 em Lisboa) na segunda-feira. Em poucas horas, grande parte do telhado ficou reduzida a cinzas.

"O telhado inteiro está danificado, toda a estrutura ficou destruída, parte da abóboda caiu", disse Gabriel Plus, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Paris, ao início da manhã de hoje.

No entanto, "os dois campan√°rios foram salvos", bem como "todas as obras de arte" pertencentes ao 'tesouro' da catedral, incluindo a coroa de espinhos e a t√ļnica de S√£o Lu√≠s, indicou.

A Procuradoria de Paris tinha j√° afirmado que os investigadores estavam a considerar o inc√™ndio como um acidente, referindo que a pol√≠cia vai avan√ßar com uma investiga√ß√£o por ‚Äúdestrui√ß√£o involunt√°ria causada pelo fogo‚ÄĚ,

No local, na segunda-feira, o Presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou que o pior tinha sido evitado e prometeu que a catedral do século XII será reconstruída.

A tragédia de Notre-Dame gerou mensagens de pesar e de solidariedade de chefes de Estado e de Governo de vários países, incluindo Portugal, bem como do Vaticano e da ONU.

"Majestoso e sublime edif√≠cio", como escreveu em 1831 o escritor franc√™s Victor Hugo no seu romance ‚ÄúNotre-Dame de Paris‚ÄĚ, a catedral foi constru√≠da em 1163 e iniciou a fun√ß√£o religiosa em 1182.