Terrorista que matou 49 pessoas na Nova Zelândia esteve de férias em Portugal

O suspeito de ter morto pelo menos 49 pessoas em dois atentados na Nova Zelândia esteve de férias em Portugal, conforme o próprio referiu no manifesto onde explica as motivações do ataque.

No capítulo sobre que situações o levaram a cometer estes ataques, Brenton Tarrant, de 28 anos, refere uma viagem que fez pela Europa, passando por Portugal, Espanha, França, entre outros, informa o Notícias ao Minuto.

Foi nessa altura, em 2017, que aconteceram dois episódios que o fizeram mudar "radicalmente" o seu ponto de vista.

"O primeiro evento que provocou a mudança na minha cabeça foi o ataque em Estocolmo, no dia 7 de abril de 2017. Foi mais um ataque terrorista numa série de tantos outros que nunca mais acabam", escreveu, citado pelo site de notícias.

Desta vez, o que marcou Brenton foi a morte de um jovem que ia a caminho da escola quando foi atingido por um veículo que seguiu contra quem passeava na rua. “A morte de Ebba às mãos dos invasores, a indignidade da sua morte violenta e a incapacidade de o parar, atingiu o meu cinismo como uma marreta”, conta, referindo que "não podia mais ignorar ignorar os ataques. Atacaram o meu povo, a minha cultura, a minha fé e a minha alma".