Especialistas admitem que operações para encontrar Julen podem demorar dias

O resgate de Julen Jiménez, o menino de dois anos que caiu num poço com mais de 80 metros de profundidade em Málaga, no sul de Espanha, poderá demorar mais dois a quatro dias, de acordo com alguns especialistas.

"Falar de tempos é uma imprudência”, afirmou ontem Juan López Escobar, delegado do Colégio de Minas de Málaga. “Trabalhamos para fazê-lo [o resgate] com a maior brevidade possível", acrescentou, admitindo, no entanto, que se trata de "uma questão de dias, não de horas".

Mais de uma centena de horas depois da queda de Julen, as equipas continuam a construção de dois túneis paralelos, e retomaram também a escavação do túnel horizontal foi retomada, com o objetivo de realizar trabalhos de resgate de vários sítios para conseguir chegar com mais rapidez ao sítio onde se acredita que esteja a criança.